Não acredito que o seu filho ainda dorme com você!

Eu durmo com o meu filho sim, e o que é que você tem a ver com isso?

Hoje venho falar de algo que faço e muitas mães também fazem mas muitas delas não contam a ninguém por medo de serem julgadas.

Dormir com o filho ou ele dormir com os pais ainda é um assunto “tabu”, e eu venho partilharcom vocês a nossa rotina noturna.

IMG_0392

Desde 1 mês e meio até os 4 meses do Martim ele dormia 7 / 8 horas por noite até nascer os primeiros dentinhos, depois disso tudo mudou.
No início, ele veio para a nossa cama, mas uma noite em que eu estava tão cansada deixei ele cair. Chorei tanto e me senti tão  culpada que resolvi fazer o quarto Montessori para ele (tem um post aqui no blog onde mostro o quarto dele), e como a caminha dele é no chão senti mais segurança em ele dormir lá, no entanto peguei a minha almofada e me “mudei” para o quarto dele.

O Martim ainda mama durante a noite, e para eu conseguir dormir melhor e não ter que levantar muitas vezes á noite eu decidi passar a dormir com ele.

DSC_0066

 

Então, como funcionamos aqui em casa?!
Quando o meu marido faz o turno da manhã, ele vai buscar o menino a creche, dá o banho e o jantar.
Entretanto chego a casa por volta das 19h/19:30. Quando chego, tomo logo banho, janto e tento orientar as minhas coisas para o dia seguinte, nisso já são perto das 20h /20:30.
Assim que chego, o Martim só quer a mim e pede o peito, ou seja, tenho que ser muito rápida a me despachar para me poder dedicar a ele.

O Martim é um relógio autêntico, ele tem uma rotina e gosta de a seguir.
Por volta das 21h/21:30h ele pede o peito para poder dormir, então vamos para caminha dele, apagamos as luzes, deitamos bem juntinhos (ele a mamar), e dormimos.
A maioria das vezes acabo por dormir logo, e algumas vezes ainda consigo ir para o sofá para estar um pouquinho com o marido e nessas pouquíssimas vezes o Martim acaba por acordar e me chamar.

FB_IMG_1460991641983
Muitas pessoas me perguntam quando vou voltar para a minha cama, algumas ainda dizem “coitado do Andre”, outras acham um absurdo e dizem “tens que habituar o teu filho a dormir sozinho”, outras me dão conselho para o deixar a chorar, enfim, muitas pessoas se metem onde não são chamadas.

O que eu penso ou o que digo a essas pessoas?

Geralmente não respondo, dou aquele sorriso e mudo de assunto, mas quando insistem eu digo que vou para a minha cama quando eu quiser, que tenho a certeza que não vou dormir com o meu filho até ele ter 15 anos e por isso vou aproveitar o tempo que tenho com ele.
Em relação ao meu marido, nós estamos bem, obrigada. Já falamos sobre o assunto e graças a Deus tenho um marido/pai super compreensivo, vamos encontrando tempo para estarmos juntos e de vez em quando o Martim vai para os avós para estarmos sozinhos.

20160327_003727
O que eu posso dizer para os pais que estão a passar pela mesma situação?
Calma, essa fase vai passar e no futuro ainda vão sentir falta do vosso bebezinho ao lado de vocês.
Ás mães, não se calem e não tenham medo de falar, não existem mães perfeitas, existem mães que dão o seu melhor todos os dias.

Eu faço o que posso e o que não posso para ver o meu filho bem. Se estou ou não estou a fazer bem, o problema é meu e não seu.

Beijinhos e até sexta-feira.

Poderá também gostar de ler

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *